Bem-vindos

gallery-full-02O cantor, compositor e guitarrista Yan França  iniciou sua carreira musical com o violão clássico, o que o levou a ingressar na faculdade de música UNI RIO.

Entre os caminhos musicais que o levaram a trabalhar em estúdios de ensaio e  dar aulas de música, Yan compôs trilhas sonoras para espetáculos teatrais e documentários, entre eles os premiados “Pedregulho, o sonho é possível”, “As águas do Rio” e “Os Irmãos Roberto”.

Trilhando seu caminho na música foi guitarrista da nova formação da banda Zero, sucesso nos anos 80. Com a banda gravou o CD “O Quinto Elemento” com parceria em 4 músicas, uma delas sucesso nas rádios. Tocou no programa Altas Horas, em vários palcos pelo Brasil e participou da gravação do  DVD ao vivo da festa ploc 80, no Circo Voador.

Em 2009 o cantor  gravou seu primeiro dico solo, “Yan França”,  que contou com a  participação da atriz Carolina Dieckmann na música “De floripa a Salvador”. Esse trabalho lhe rendeu projeção e apresentações em diversas festas e casas de show como o Emporio, Conversa Afinada, Mistura Fina, Hipódromo Up, Calibrado, Vittório , Saloon etc…Também participou do Estudio Oi Novo som, do programa Pop Mix e do programa Atual, do SBT.

Também fez parte da banda carioca Funk’n Lata, de Ivo Meirelles. Com o grupo tocou em vários estados brasileiros e em mais de 10 países da Europa. Como guitarrista do Funk’n Lata subiu ao palco ao lado de nomes como Sandra de Sá, Jorge Benjor, Roberto Frejat, Jorge Versilo, Claudio Zoli, Davi Moraes, Fernanda Abreu e outros. Além disso, dividiu o palco com o Black Eyed Peas, Sérgio Mendes e John Legend no réveillon de Ipanema, tocando para mais de trezentas mil pessoas.

Agora Yan França lança seu novo disco, “Tudo Muda”. Buscando um som híbrido que traduza suas referências,  o músico promove  uma mistura de temperos sonoros guiados pelo seu violão de aço e sua guitarra, instrumentos que usa como extensão de sua voz.  Nessa mistura o cantor passeia com naturalidade pelo pop rock mas também é nítido seu diálogo com a MPB, o reggae, o rap e o folk. Em “O Segredo”, a simplicidade do refrão “abra uma porta pro seu coração/feche seus olhos para o medo” cria identificação imediata com o público, embalado por solos de slide. Em “Vai chegar”, Yan flui com propriedade pelo rap, sem abrir mão do instrumental pesado, influência forjada no rock dos anos 70 e 80. Já a faixa “Terra Carioca” é um despretensioso tributo a cidade maravilhosa, com balanço tipicamente carioca. A canção “Tudo Muda”  traduz com leveza e roupagem percussiva a batalha do artista independente: “tudo está errado/minha música não toca na radio”.